logo

Os sete contra Tebas

Área: mitologia grega
 
Os Sete contra Tebas

Quando Édipo deixou Tebas, seus dois filhos, Etéocles (gr. Ἐτεοκλῆς) e Polinices (gr. Πολυνείκης), decidiram dividir o trono de Tebas de tal forma que cada um deles reinasse durante um ano. Quando a vez de Etéocles chegou, porém, ele se recusou a ceder a vez a Polinices e expulsou o irmão de Tebas.

Sete contra sete

Polinices refugiou-se em Argos, onde reinava Adrasto (gr. Ἄδραστος), filho de Tálao, e desposou a filha do rei. Algum tempo depois, Adrasto e Polinices decidiram organizar uma expedição militar contra Tebas, para que Polinices pudesse recuperar o trono.

Adrasto reuniu mais cinco heróis para a expedição, perfazendo então um total de sete: Tideu (gr. Τυδεύς), filho de Eneu; Anfiarau (gr. Ἀμφιάραος), primo de Adrasto, neto de Melampo e adivinho, como o avô; Capaneu (gr. Καπανεύς) e Hipomedonte (gr. Ἱππομέδων), da família real de Argos; e Partenopeu (gr. Παρθενοπαῖος), filho de Atalanta.

Anfiarau inicialmente relutou em participar da expedição, mas foi convencido pela esposa, Erífile, que havia sido subornada por Polinices com o colar de Harmonia, que ele herdara de Cadmo.

Etéocles opôs ele próprio ao irmão e convocou mais seis heróis tebanos para enfrentar os invasores — sete contra sete. Cada herói argivo enfrentou um adversário tebano diante de cada uma das sete portas de Tebas e, durante a luta, Etéocles e Polinices mataram um ao outro. Os tebanos, porém, rechaçaram o ataque e todos os heróis do exército atacante foram mortos, com exceção de Adrasto, que conseguiu fugir graças a seu cavalo Aríon. Anfiarau chegou a ser perseguido pelo tebano Periclímano, mas Zeus fez a terra se abrir e Anfiarau foi tragado com carruagem, cavalos e tudo.

Creonte, novamente rei de Tebas, proibiu que o corpo dos inimigos fosse sepultado, inclusive o de seu sobrinho Polinices. Mas Antígona (gr. Ἀντιγόνη), alegando obediência às leis divinas, recobriu o corpo do irmão com um pouco de terra — o suficiente para satisfazer o ritual — e por isso foi condenada à morte. Antígona se suicidou antes disso e também se mataram Hémon, filho de Creonte e noivo de Antígona e Eurídice, esposa de Creonte e mãe de Hémon. Posteriormente, pela força das armas, Creonte foi obrigado por Teseu a entregar os corpos dos heróis argivos aos parentes.

Os epígonos

Dez anos depois, Adrasto reuniu os filhos dos heróis argivos e organizou outra expedição contra Tebas. Esses jovens heróis, os epígonos, eram: Alcméon (gr. Ἀλκμαίων) e Anfíloco, filhos de Anfiarau; Egialeu, filho de Adrasto; Diomedes, filho de Tideu; Prômaco, filho de Partenopeu; Estênelo, filho de Capaneu; Tersandro, filho de Polinices. Os tebanos eram então chefiados por Laodamante, filho de Etéocles.

Dessa vez Tebas foi conquistada, e Egialeu e Laodamante morreram durante os combates. Tersandro assumiu então o poder e reinou até a época da primeira expedição contra Troia, quando foi morto por Télefo durante o desembarque na Mísia.

Iconografia e culto

No século II, pelo menos, havia um heroon de Édipo e de Adrasto em Colono, na Ática. Adrasto era também cultuado em Sicíon e os filhos de Édipo, em Tebas. Havia também, em Elêusis, um culto aos "Sete Contra Tebas". O culto mais famoso de todos, no entanto, era o do concorrido santuário de Anfiarau em Oropo, Ática, procurado pelos devotos em busca de cura para suas doenças, a exemplo dos numerosos templos da cura dedicados a Asclépio.

leia mais