789d
0789dX

Templo de Apolo em Bassas

-430/-390

Reconstrução dos degraus, estilóbata e colunas dóricas externas do templo de Apolo Epicurios. Calcário e mármore, Bassas (Arcádia). Arquiteto: Ictino
Coluna coríntia interna

 
0789
Templo de Apolo em Bassas / imagem principal
 
0789a
Fachada leste com a porta lateral
 
0789b
Fachada norte e pronaos
 
0789c
Reconstrução (Wordsworth, 1882, p. 401)
 
0789d
Coluna coríntia interna
 
0789e
Coluna jônica interna
 
0789f
Reconstituição do interior
Imagem“AlMare”, 2005Fonte / ©World Art DatabaseLicençaDomínio públicoIluminura0789d

Comentários

O pequeno templo de Apolo Ἐπικούριος, ‘o que socorre’, redescoberto por viajantes alemães e franceses no início do século XIX, localiza-se em uma área remota e montanhosa da Arcádia, Peloponeso. Foi construído no sentido norte-sul, ao contrário da maioria dos templos gregos, erigidos no sentido leste-oeste, por Ictino, um dos arquitetos do Parthenon de Atenas, segundo a tradição. Os vestígios do templo, atualmente em estado relativamente precário, estão sendo pacientemente reconstruídos sob uma tenda protetora.

Fig. 0069. Plano do templo. 1, opistódromo; 2, ádito; 3, naos; 4, pronaos.

Nas Ilum. 0789a-b vê-se a disposição da colunata externa, de estilo dórico; na Fig. 0069, um plano do templo com a disposição das colunas internas. A Ilum. 0789e mostra uma reconstrução de uma coluna iônica (jônica) interna, e a Ilum. 0789d, a de uma coluna coríntia interna.

A edificação mostra duas interessantes inovações: uma porta lateral, possivelmente para permitir que o sol iluminasse a estátua cultual de Apolo, no interior do templo (Ilum. 0789a), e colunas internas em estilo iônico e dórico. É o único templo grego em que as três ordens podem ser encontradas ao mesmo templo.

Os frisos do exterior não eram decorados. Os frisos internos, que representavam cenas da amazonomaquia (luta entre gregos e amazonas) e da centauromaquia (luta entre centauros e lápitas), foram esculpidos em mármore, e não em calcáreo, como o resto do templo. As faces dos personagens dos frisos são notáveis, pois mostram um grau de realismo pouco encontrado na arte grega do Período Clássico, dominada pela idealização das figuras.

A Ilum. 0789f mostra uma reconstrução conjetural da naos do templo, desenhada por Friedrich Krischen (1881/1949) com a posição provável das colunas iônicas e coríntias.