logo
477
0477X

Odisseu, Polifemo e górgonas

c. -650

Ânfora protoática. Elêusis

Pintor de Polifemo

 
0477
Odisseu, Polifemo e górgonas / imagem principal
 
0477a
O cegamento
 
0477b
Odisseu e Polifemo
 
0477c
Vista panorâmica
 
0477d
As duas górgonas
 
0477e
Medusa decapitada
AcervoMuseu Arqueológico de ElêusisInventário2630ImagemRichard Pianka, 07/08/2005Fonte / ©FlickRLicençaCC BY-SA 2.0Iluminura0477

Comentários

A cena supra, registrada no colo da ânfora, representa Odisseu, seus companheiros e Polifemo. As figuras são pintadas (Ciclope e companheiros de Odisseu) ou delineadas com vários traços (Odisseu), com discretos detalhes incisos nos penteados.

No corpo da ânfora vemos uma das mais antigas representações das três górgonas, um pouco apagada pelo tempo. À esquerda (Ilum. 0477e), o corpo de Medusa, caído e decapitado; à direita (Ilum. 0477c), suas duas irmãs fogem em direção a um jovem, na extrema direita. O pintor representou a cabeça das górgonas com forma de caldeirão, com alças e tudo (Ilum 0477d).

O cegamento do ciclope Polifemo, filho de Posídon, é uma das mais famosas cenas do Livro IX da Odisseia, composto provavelmente uma ou duas décadas antes de -700. Segundo Homero, Polifemo era gigantesco, forte, tinha apenas um olho no meio da testa e comia carne humana. Presos em sua caverna, Odisseu e seus companheiros embebedaram-no e conseguiram cegá-lo com a ponta de um enorme chuço (Ilum. 0477a-b). Notar a cratera, jarro usado para servir vinho, entre o herói e o ciclope; deve ter sido o instrumento utilizado por Odisseu para embebedar Polifemo...

Etapa cultural: Protoático médio.