logo

Arquitas de Tarento

Seção: filosofia grega
Ἀρχύτας Archytas Tarentinus Phil. Archyt.c. -435 / -347
página esquemática / provisória

Arquitas de Tarento (gr. Ἀρχύτας) filósofo, matemático, astrônomo, militar e político, parece ter influenciado consideravelmente o pensamento de Platão, cuja vida salvou em uma das viagens do ateniense à Sicília (-361).

Nasceu c. -435 e faleceu em -347, aparentemente durante um naufrágio. Formado na escola pitagórica, foi discípulo de Filolau de Crotona e mestre de Eudoxo de Cnido. Foi estratego sete anos consecutivos (-367/-361) da pólis de Tarento, Sicília, e sua reputação de bom administrador e de democrata perdurou pelo menos até a época de Cícero, em Roma.

Assim como os pitagóricos (Pl. R. 730d), julgava que a astronomia, a geometria, a aritmética, a trigonomia e a música eram disciplinas irmãs e deviam ser estudadas em conjunto. Criou, aparentemente, teoria física sobre os sons musicais e inventou um instrumento semelhante à matraca e outro parecido com um chocalho.

Na matemática, escreveu sobre a média aritmética e sobre a média harmônica, criou uma teoria sobre as proporções e resolveu o problema da duplicação do cubo por meio de um modelo geométrico e de uma curva, a curva de Arquitas. Consta que descreveu pela primeira vez três sólidos geométricos, a pirâmide, o cubo e o dodecaedro.

Interessava-se também pela ciência prática, e dizem que certa vez construiu uma pomba de madeira capaz de voar.

Vários tratados provavelmente forjados foram atribuídos a ele a partir do século -I. Na realidade, dispomos apenas de fragmentos de sua obra.