Dídimo Calcentero

Seção: literatura grega
Δίδυμος χαλκέντερος Didymus Grammaticus Did.-63/10
página esquemática / provisória

Erudito alexandrino, incansável pesquisador, compilador e comentador de Homero, dos poetas líricos e de numerosos autores do Período Clássico.

Vida e obra

Dídimo Calcentero viveu no final do Período Helenístico, entre -63 e 10, aproximadamente. Sua dedicação ao estudo lhe valeu o apelido χαλκέντερος, que significa ‘entranhas de bronze’. Ensinou em Alexandria e em Roma, onde se tornou amigo do erudito romano Varrão (-116/-27).

Incongruências entre βιβλιολάθας

Segundo Ateneu e Sêneca, teria escrito de 3500 a 4000 livros, evidente exagero[1]. Sabemos, no entanto, de um tratado sobre a edição de Aristarco de Samotrácia dos poemas homéricos (uma crítica da crítica...), de comentários sobre Baquílides, Píndaro, poetas trágicos, poetas cômicos, Demóstenes e outros oradores áticos, de léxicos das tragédias e comédias, de um estudo de expressões obscuras e de uma coletânea de provérbios gregos. Escreveu ainda sobre as leis de Sólon.

Acredita-se atualmente que Dídimo era, mais do que pesquisador original, escrupuloso compilador e analista de estudos anteriores, mas não em tudo o que escreveu. Seus textos com críticas a Cícero, por exemplo, desencadearam uma resposta do historiador Suetônio (c. 69/122?).

Muitos escólios[2] que chegaram aos nossos dias sob seu nome não são, na realidade, de sua autoria, e parecem ter sido escritos por outro Dídimo. O mesmo vale, possivelmente, para os fragmentos sobre botânica, agricultura, as obras de Hipócrates e um tratado completo sobre madeiras e mármores.

Textos