O Cipriota Médio

Seção: história grega
-2000 / -1550
iiniÍdolo cipriota

A partir de -1900, no início do Cipriota Médio, o leste e o sul da ilha de Chipre se tornaram mais importantes, e logo surgiram as cidades de Enkomi, no litoral leste, e Cítio, no litoral sul.

Em Nitovikla, localizada perto do mar no extremo nordeste, havia desde -1900/-1650 uma fortaleza retangular com muralhas e torres protetoras.

A exportação de cobre para o Egito e para as ricas cidades de Creta, da Síria e da Palestina se intensificou consideravalmente, e a influência dessas culturas cresceu na mesma proporção. Em uma tumba de Karmi, por exemplo, foi descoberta uma estela funerária muito semelhante às de certos túmulos egípcios do Antigo Império; em Enkomi, um escarabeu que imita exemplares egípcios do final do Médio Império[1].

Um novo estilo cerâmico emergiu, e vasos com detalhes antropomórficos (olhos, narizes, etc.) e formato zoomórfico se tornaram comuns.

Em alguns textos cuneiformes de Mari (Mesopotâmia), datados do século -XVIII, são mencionadas as importações de cobre e bronze de Alasiia (ou Alashia). É possível que o reino de mesmo nome, conhecido pelos hititas e pelos egípcios durante o Bronze Recente, tenha se formado nesse período. O nome Alasiia poderia ser também uma referência às cidades de Enkomi e Cítio, e não à ilha como um todo.