O Cipriota Antigo

Seção: história grega
-2500 / -2000
iiniCabeça masculina

Novos colonos estabeleceram em Chipre, por volta de -2500, a cultura do Cipriota Antigo.

A ilha manteve características culturais próprias, aparentadas ao Neolítico, até o fim do Calcolítico. Por volta de -2500, com a chegada de novos colonos da Anatólia, cessou o isolamento cultural da ilha. Os mais importantes estabelecimentos conhecidos são Filia (-2300/-2200), Vounous (-2200/ -2100) e Ambelikou (-2200/-2000).

A descoberta das ricas jazidas de cobre desencadeou intensivas trocas comerciais com as regiões vizinhas, e a exportação dessa importante matéria-prima, iniciada por volta de -2500/-2300, tornou-se a característica principal de Chipre nos milênios seguintes.

A cerâmica, as estatuetas de argila, as joias, as armas e os vasos de metal, entre outras coisas, passaram a mostrar uma curiosa mistura de elementos locais e influências externas, notadamente da Anatólia.

Os mortos eram enterrados em sepulturas individuais ou múltiplas, constituídas por uma câmara circular escavada em geral nos flancos das colinas.