A comédia clássica / antiga

Seção: literatura grega480 palavras
ἀρχαία κωμῳδία uetus comoedia

Ao afirmar que a imitação é parte da natureza humana, Aristóteles (Poética 1448a-b) pontuou que, enquanto a tragédia mostrava os homens melhores do que eram, a comédia imitava mostrando os homens piores do que eles são...

Primórdios

Não se sabe ainda qual a origem exata desse gênero cômico, mas foi sem dúvida em Atenas que as condições políticas, econômicas e sociais favoreceram seu pleno desenvolvimento.

As representações cômicas em Atenas começaram oficialmente nas Dionísias Urbanas de -486, porém cenas pintadas em vasos mostram que elas já existiam bem antes disso ([Ilum. 0204]).

De acordo com o formato dramático, tema e algumas características da comicidade, são reconhecíveis três etapas de desenvolvimento do drama cômico em Atenas: a comédia antiga (gr. ἀρχαία) e a comédia intermediária (gr. μέση), do Período Clássico, e a comédia nova (gr. νέα) helenística.

iDançarinos com enchimentos

Note-se que essas divisões são um tanto artificiais, pois alguns poetas da comédia antiga também criaram comédias nitidamente “intermediárias”, assim como poetas da comédia intermediária escreveram tragédias “novas”, características do Período Helenístico.

Comédia antiga

A mais antiga comédia completa que chegou até nós, da autoria de Aristófanes, data de -425, e a última de suas comédias eminentemente “antigas”, Rãs, data de -405.

Isso significa que, embora cronologicamente a fase antiga da comédia ática tenha durado de -486 a -405, só a conhecemos razoavelmente em suas décadas finais, durante a Guerra do Peloponeso (-431/-404).

A comédia antiga se caracterizava pela sátira direta aos políticos do momento, aos cidadãos proeminentes e às instituições da cidade. Eram notáveis, ainda, os temas fantásticos, as paródias de episódios mitológicos e a caracterização extravagante do coro. Havia também uma parte característica da representação, a parábase, situada mais ou menos no meio da peça, quando o coro suspendia parcialmente a ilusão dramática e se dirigia diretamente ao público.

iTália, musa da comédia

Aristófanes é o único poeta da comédia antiga de quem temos dramas completos; mas sabemos o título e algumas outras coisas sobre a obra de outros poetas, mais antigos ou contemporâneos de Aristófanes, graças a recentes descobertas papirológicas ou a pequenas passagens conservadas por outros autores da Antiguidade.

A comédia antiga influenciou diversos autores modernos de sátiras políticas, notadamente François Rabelais, Miguel de Cervantes, Jonathan Swift e Voltaire.

Comédia intermediária

As características das duas últimas comédias de Aristófanes, representadas entre -400 e -388, sinalizam o esgotamento da comédia antiga e o início de nova fase, intitulada comédia intermediária e que se estendeu de -404 a -321, aproximadamente.

Do o Período Clássico temos, portanto, comédias antigas, representadas grosso modo no século -V, e comédias intermediárias, encenadas do início do século -IV até os primeiros anos do Período Helenístico.

Poetas cômicos do Período Clássico

Os eruditos alexandrinos elaboraram uma lista canônica dos mais importantes poetas cômicos do Período Clássico:

  1. COMÉDIA ANTIGA
    Epicarmo, Cratino, Êupolis, Aristófanes, Ferécrates, Crates e Platão Cômico;
  2. COMÉDIA INTERMEDIÁRIA
    Antífanes e Aléxis de Túrios.

Sobre Aristófanes falaremos em verbete específico. Os outros poetas da comédia antiga e da comédia intermediária, cuja obra só conhecemos através de fragmentos, serão sumariamente discutidos em outros verbetes sobre a comédia clássica (infra).