Hipno e Tânato, o sono e a morte

Seção: mitologia grega480 palavras
iiniHermes, Hipno e Tânato

Os irmãos gêmeos Hipno e Tânato personificam, respectivamente, o sono e a morte.

Hipno (gr. Ὕπνος) e Tânato (gr. Θάνατος) foram gerados por Nix, a noite, que os concebeu sozinha, sem se unir a divindade alguma.

Hipno

De acordo com Homero, certa vez a deusa Hera prometeu casar Hipno com uma das Cárites (Il. 14.264-79). Não sabemos se assim foi, mas de qualquer modo parece que não teve descendentes.

Hipno auxiliou a deusa Hera no episódio conhecido por ‘engano de Zeus’ (gr. Διὸς ἀπάτη, na Ilíada (14.153-362).

Tânato

iTânato

Tânato participa das lendas de Sísifo e de Alceste.

Há uma certa semelhança entre Tânato e a Quer (gr. Κήρ) ou, eventualmente, as Queres (gr. Κῆρες), outros “filhos” de Nix, antiga(s) divindade(s) relacionada(s) com a morte violenta em batalha.

Iconografia e culto

Hipno e Tânato eram representados como homens alados que transportavam guerreiros mortos.

Ambos tinham estátuas e um culto em Esparta (Pausânias 3.18.1).

C. 1609-1611, John Donne criou um soneto com apóstrofe dirigida à morte. A morte personificada é objeto de outra história, contada por Somerset Maugham em 1933.