logo
333
0333X

A acrópole de Micenas

sæc. -xiv/-xiii

Reconstituição artística da cidadela

 
0333
A acrópole de Micenas / imagem principal
 
0333b
A acrópole à distância
 
0333c
A cidadela escavada
ImagemChuck LaChiusaFonteBuffalo Architecture and HistoryLicençaAutorizada - só no PortalIluminura0333
Comentários

As primeiras escavações em Micenas datam de 1841 (Kyriakos Pittakis) e de 1874 (Heinrich Schliemann[1]), ambas parciais. Escavações mais completas começaram em 1876 (Schliemann) e entre 1884 e 1902 (Christos Tsountas).

A Ilum. 0333c é um modelo da parte já escavada da cidadela; na Ilum. 0333b, vê-se um aspecto da acrópole e da cidadela de Micenas, vistas à distância.

Na Fig. 0089, abaixo, esboço com plano simplificado da acrópole de Micenas, de acordo com interpretações de Wace & Stubbings (1923: apud Taylour, 1970, p. 98) e Iacovidis (apud Meletzis & H. Papadakis, 1983, p. 61):

Fig. 0089. Plano da acrópole. 1, entrada da Porta dos Leões; 2, muralhas ciclópicas; 3, porta traseira; 4, círculo tumular A; 5, palácio; 6, reservatório subterrâneo.

O número 5 da Fig. 0089 assinala precisamente o pátio do palácio; à esquerda, está a sala do trono; à direita, o mégaro com a lareira circular cercada de colunas.

Notas
[ utilize os recursos do navegador para VOLTAR ao texto ]
  1. O alemão Heinrich Schliemann (1822/1890) foi o primeiro a descobrir em Troia, Micenas, Tirinto, Ítaca e Orcômeno os vestígios da Grécia pré-histórica. Embora não fosse arqueólogo profissional, era dotado de pertinência e entusiasmo; sua intenção era comprovar, através das escavações arqueológicas, a veracidade das lendas descritas por Homero em seus poemas. A despeito dos sucessos, tinha a tendência de romantizar e identificar seus achados com personagens da Mitologia Grega. Batizou, por exemplo, de “tesouro de Príamo” um conjunto de joias encontrado em Troia II e de “máscara de Agamêmnon” uma máscara mortuária encontrada em Micenas. Quando escavou em Orcômeno, na Beócia, descobriu um tipo de cerâmica até então desconhecido e a atribuiu aos mínios, povo lendário ligado a essa cidade.
    Mais informações → Heinrich Schliemann
    Imagem: S. Kohn, 1883. Fonte: Gallica, domínio público.