Græcia Antiqua INTRODUÇÃOARTECIÊNCIASFILOSOFIAGEOGRAFIAHISTÓRIALÍNGUALITERATURAMITOLOGIAMÚSICARELIGIÃO
620 palavras

A Suda

 
São Lucas, evangelista

A Suda (gr. ἡ Σοῦδα), às vezes incorretamente chamada de Suidas (gr. Σουίδας)[1], é um léxico histórico ou, mais exatamente, uma espécie de “enciclopédia” compilada no final do século X por um ou, o que é mais provável, por diversos eruditos bizantinos (Dickey 2007, p. 90-1).

Seus 31.000 verbetes de diversos tamanhos totalizam um milhão e meio de palavras e abordam variados aspectos da cultura grega. Nem todas as informações são inteiramente confiáveis — particularmente as biográficas —, mas a enciclopédia continua a ser importante fonte de informações sobre autores e obras do Período Clássico e períodos mais recentes. Os verbetes reproduzem, com frequência ao pé da letra, escólios e trechos de obras hoje perdidas.

Algumas fontes das informações foram já identificadas: os escoliastas[2], a Antologia Palatina, a Bíblia, Diógenes Laércio, Hesíquio de Mileto (sæc. VI)[3], o léxico atribuído ao patriarca Fócio (810-893) e os Excertos Históricos do imperador Constantino VII (905-959), entre muitas outros. Boa parte delas é igualmente constituída de compilações, o que faz da Suda uma verdadeira compilação de compilações...

Ordem e classificação

Os verbetes estão organizados em ordem alfabética, mas de acordo com a pronúncia bizantina do grego. Usualmente menciona-se os verbetes por letra e número da entrada ou sub voce. Para a biografia de Eurípides, por exemplo, cita-se Suda ε.3695 ou Suda s.v. Εὐριπίδης.

Recentemente, trabalho colaborativo de numerosos estudiosos disponibilizou a tradução inglesa on-line de todos os verbetes (ver links externos), classificados de acordo com as seguintes entradas:

agricultura
alimentação
arquitetura
arte, história da
atletismo
biografia
botânica
ciência e tecnologia
comédia
comércio e manufatura
constituição
crianças
cristianismo
cronologia
definição
dialetos, gramática e etimologia
economia
épica
ética
etiologia
filosofia
gênero e sexualidade
geografia
história
historiografia
iconografia
leis
matemática
medicina
métrica e música
militares, temas
mitologia
mulheres
poesia
política
provérbios
religião
retórica
sonhos
teatro
tragédia
vestimenta
vida diária
zoologia

Essa pequena lista dá ideia da grande variedade de temas abordados.

Manuscritos, edições, traduções

Há numerosos manuscritos completos ou incompletos disponíveis. Os mais antigos são o Vossianus gr. F 2, anterior a 1204 (Biblioteca da Universidade de Leiden); o Parisinus gr. 2622, do século XIII (Paris, Biblioteca Nacional), e os Parisinus gr. 2625 e 2626, com seções escritas do século XII ao XV; e o Marcianus 448 (1047), do século XIII (Veneza, Biblioteca de São Marcos).

O Harleianus 3100 (Londres, Biblioteca Britânica, 1450-1500), disponível nos links externos para navegação, é cópia do Vossianus.

A editio princeps é a de Demetrius Chalcondyles (Milão, 1499). A Aldina (Veneza, 1516) saiu bem depois e a primeira edição crítica foi a de Kuster (Cambridge, 1705). Principais edições modernas: Gaisford (1834), Bekker (1854), Adler (Leipzig, 1928-1933, utilizada pela Suda On Line) e Zorzos (2009).

Não há traduções sistemáticas para o português, a não ser verbetes isolados aqui e ali.

Notas

  1. Até meados do século XX acreditava-se que “Suidas” era o nome do compilador da enciclopédia. Alguns estudiosos ainda mantêm essa ideia.
  2. Escólios (gr. sg. σχόλιον) são breves anotações nas margens de manuscritos gregos e latinos que comentam / esclarecem certas passagens do texto. Seus autores, habitualmente desconhecidos, são chamados de escoliastas. É possível que os primeiros escoliastas tenham sido Aristóteles e seus discípulos, mas a atividade parece ter se desenvolvido sistematicamente só mais tarde, com as atividades filológicas e literárias dos eruditos ligados à Biblioteca de Alexandria (Aristófanes de Bizâncio, Aristarco, Calístrato e outros). Essas antigas “notas de rodapé” são sempre referidas em relação ao autor e ao texto que comentam. A abreviatura padronizada Σ Ar. Ra. 67, por exemplo, significa “escólio / escoliasta de As Rãs de Aristófanes, verso 67”.
  3. Não confundir com o gramático Hesíquio de Alexandria, provavelmente do século V, compilador de um glossário / léxico de palavras incomuns.

Referências

Eleanor Dickey, Ancient greek scholarship. Oxford: Oxford University Press, 2007.

Créditos das ilustrações

i0680São Lucas, evangelista → Ver comentários.

Links externos

Imprenta

Artigo nº 1125, publicado em 05/02/2019.
Licença: CC BY-NC-ND 4.0
Como citar esta página:
RIBEIRO JR., W.A. A Suda. Portal Graecia Antiqua, São Carlos. URL: greciantiga.org/arquivo.asp?num=1125. Consulta: 07/12/2019.
 
Portal Grécia Antiga ISBN 1679-5709 On-line desde 04/11/1997 f   t   i Sobre o Portal Ajuda FAQs Mapa do site Termos de uso 12/09/2019 ← novidades Contato Outras páginas do autor Créditos
 Wilson A. Ribeiro Jr., 1997-2019