logo

Obras micênicas diversas

Área: arte grega
-1550 / -1100
 
Máscara mortuária

Além da Arquitetura, Pintura, Cerâmica e Escultura micênicas, são notáveis os vasos de metal e pedra, as armas ornamentais, as joias e os selos. Quanto mais antiga a obra, mais evidente a influência minoica.

Vasos de metal e de pedra

Os vasos de ouro e prata tinham formas diversas e derivavam diretamente de modelos minoicos anteriores. Muitos eram simples e lisos; outros, ricamente decorados com incrustações de diversos tipos; outros, ainda, moldados com padrões florais e cenas diversas.

Há exemplares provenientes de diversas áreas da Grécia Continental e ilhas: as obras de maior refinamento artístico são as taças de ouro de Vafio, Lacônia, datadas de -1500/-1450, e a famosa taça de prata de Enkomi, Chipre, datada de -1400.

Vasos cretenses de pedra ornamental (alabastro, obsidiana, serpentina, etc.), populares entre -1550 e -1450, foram encontrados em diversos sítios da Grécia Continental. Há imitações micênicas, porém de qualidade artística inferior.

Armas ornamentais e joias

Finíssimas armas ornamentais, produzidas entre -1550 e -1400 por artífices cretenses para os ricos aristocratas micênicos, foram encontradas nos túmulos de poço do Círculo Tumular A, em Micenas, e também em Pilos (Messênia) e Vafio (Lacônia). As lâminas das adagas tinham vívidas cenas de caça desenhadas com incrustações de ouro, prata e niello.

A joalheria micênica, de tradição totalmente cretense, produziu algumas das mais belas peças artísticas do mundo grego. Todas as técnicas e formas utilizadas na Antiguidade já eram, então, praticamente conhecidas.

Os exemplares mais antigos são anéis, broches, alfinetes, colares, diademas e brincos em ouro trabalhado, encontrados nos diversos túmulos de Micenas (-1550/-1400). A técnica de confecção desenvolveu-se progressivamente até -1200, mas as formas básicas mudaram pouco. Especialmente populares em todos os sítios micênicos eram os colares feitos de contas de ouro em relevo.

Chipre foi a única região do "Império Micênico" a desenvolver um estilo particular. Os joalheiros cipriotas copiaram em grande parte o estilo micênico, adaptando-o porém à cultura local, uma mistura de influências cretenses, micênicas e asiáticas.

No século -XII, enquanto o mundo micênico desmoronava, os joalheiros de Chipre ainda produziam joias de altíssima qualidade. A excelência do esmaltamento cloasonado (cloisonné), por exemplo, técnica desenvolvida nessa época pelos artífices micênicos de Chipre, só voltou a ter paralelo 2.000 anos mais tarde, durante o Período Bizantino[1].

Sinetes e selos

Os anéis de sinete mais antigos (-1550/-1400), habitualmente de ouro, são os de maior qualidade artística; os selos eram geralmente esculpidos em ouro e pedras preciosas diversas.

As cenas desenhadas nos sinetes e selos eram do mesmo tipo. Inicialmente, como tantas outras coisas, inspiravam-se nas obras minoicas contemporâneas; após -1400, o característico repertório de cenas de guerra e caça dos micênios passou a predominar.

Sinetes e selos foram produzidos ininterruptamente em todas as regiões sob influência micênica até -1050, aproximadamente.

galerias de arte